Empreendedorismo precisa se formalizar para se tornar maduro!

Fale com um especialista agora gratuitamente!
Nesse artigo você vai ver:

Confira a entrevista completa que o Sócio-Diretor da Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria, Silvinei Toffanin, deu para o Portal Investimento e Notícias sobre as novas regras do ICMS

Data da publicação: 01/10/2015

Artigo original:  http://www.investimentosenoticias.com.br/noticias/negocios/empreendedorismo-precisa-se-formalizar-para-se-tornar-maduro

 

Empreendedorismo precisa se formalizar para se tornar maduro!

O Brasil é vice-campeão em empreendedorismo. Hoje existem mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas no país. Segundo a Serasa Experian, o país ganhou 990 mil novas empresas somente no primeiro semestre deste ano.

O empreendedorismo é a forma usada para designar toda e qualquer atividade de proação, criação, desenvolvimento e estabilização econômica. São novos empreendedores as pessoas que enxergam oportunidades onde a maioria vê um problema. Em períodos de economia complicada, como o atual, empreender acaba se tornando uma saída para aqueles que não conseguem uma recolocação profissional.

Porém, em qualquer um dos casos, a concorrência é uma das grandes dificuldades para que uma empresa se destaque no mercado. Essa mesma concorrência, por outro lado, incentiva a qualificação e a especialização. E é justamente na abertura do próprio negócio que muita gente acaba se encontrando profissionalmente. Ao encontrar um ofício que seja agradável e no qual a pessoa aposta iniciam-se as primeiras preocupações. Como fazer para abrir a minha empresa?

De acordo com Silvinei Toffanin, diretor da DIRETO Contabilidade, Gestão e Consultoria, há 18 anos no mercado, iniciar um negócio de maneira formal não é complicado, mas exige atenção. Ele oferece algumas dicas importantes para facilitar a atividade:

1. Procure um contador – esse profissional saberá quais são as documentações exigidas para a abertura do negócio. Além disso, o contador vai recomendar qual o melhor sistema tributário para o seu empreendimento, bem como auxiliará a montar um cronograma com os dias de pagamento dos impostos e informará o melhor dia do mês para fazer um balanço.

2. Alinhe-se com um advogado – esse profissional vai auxiliar o empresário a elaborar o contrato social e outros documentos da empresa.

3. Registre a sua marca – inicialmente você vai achar o investimento alto, mas verá que isso vai se tornar uma vantagem para a empresa a longo prazo. Também é importante considerar comprar um domínio na internet, mesmo que para a criação de um site com informações básica. Um bom site sempre faz bem à imagem do negócio.

4. Invista em marketing – para a criação de logo e projetos de divulgação.

5. Faça um plano financeiro – É recomendável ser um pouco conservador com relação ao estoque inicial, pecando pela falta e não pelo excesso. Além disso, é imprescindível ter dinheiro em caixa para pelo menos três meses sem lucro. O sucesso do negócio é fruto de um bom planejamento.

Sob a ótica da burocracia para abertura formal da empresa, Toffanin dá as seguintes orientações:

1. O primeiro passo para abrir uma empresa é abrir uma firma. Vá a um cartório de registro civil para registrar a sua assinatura. Leve todos os seus documentos pessoais (RG, CPF, Certidões), com cópias autenticadas.

2. Depois de abrir firma, vá à junta comercial do seu estado ou ao órgão de registro de empresas para registrar que sua empresa existe oficialmente. Para realizar esse procedimento, leve o Contrato Social (esse é o documento mais importante no processo de abertura da empresa, que contem informações como interesse das partes, objetivo da empresa, descrição do aspecto societário e a maneira de integralização das cotas), os documentos pessoais de cada sócio (autenticados) e a cópia do comprovante de endereço da empresa.

3. Na Junta Comercial, o empresário vai receber o NIRE (Número de Identificação do Registro de Empresa). Há sempre um preço e um prazo para abertura, que varia de acordo com cada local.

4. Com o NIRE é possível obter o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e o DECA (Declaração Cadastral), ou seja, a empresa já estará apta a pagar impostos.

5. Ao cadastrar o CNPJ é preciso saber se o tipo de empresa faz parte do SIMPLES (Sistema Integrado de Imposto e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte) para que essa classificação seja usada na tributação e na fiscalização das atividades da empresa. Antes de fazer o cadastro é importante fazer uma consulta para saber em que tipo sua empresa é classificada.

6. Feito isso, deve-se fazer um cadastro na prefeitura para receber o alvará de funcionamento, que é uma licença que permite o funcionamento da empresa em determinada localização. O alvará pode ser obtida pela internet ou na secretaria de finanças de sua cidade.
7. Para contratação de funcionários é necessário fazer um cadastro da empresa e de seus responsáveis na Previdência Social e agir corretamente de acordo com as obrigações trabalhistas. Após o funcionamento da empresa, o prazo para esse cadastro é de 30 dias.

8. Por fim, prepare o aparato fiscal da empresa solicitando a Impressão de Notas Fiscais e a Autenticação de Livros Fiscais. Esse procedimento se realiza na Secretaria de Estado da Fazenda.

‘A burocracia para abrir uma empresa é grande e são diversos os passos, mas trabalhar de maneira formal é o melhor caminho para evitar problemas das mais variadas ordens’, avalia o especialista.

 

Investimentos e Notícias 01.10.2015

Compartilhe nas redes:

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Artigo - Direto Group - Contabilidade em São Paulo - SP

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Planejamento tributário para Family Office: Faça corretamente!

Planejamento tributário para Family Office, você sabe como fazer corretamente?  Então, fique tranquilo! Elaboramos este artigo para que você tire suas dúvidas de como funciona este tipo de planejamento tributário e tudo o que envolve sua estrutura!  O planejamento tributário é uma atividade que tem por objetivo diminuir a carga

BPO Financeiro para Family Office: principais vantagens

BPO Financeiro para Family Office: o que é e principais vantagens Confira as principais vantagens do BPO Financeiro para Family Office. O BPO Financeiro é uma solução que permite terceirizar as atividades financeiras de uma empresa.  Essa prática pode trazer diversos benefícios para os Family Offices, sendo empresas que gerenciam

Entenda o papel dos Multi Family Offices para famílias abastadas

Multi family office: Compreenda o que é e o que faz! Saiba como os Multi Family Offices oferecem expertise profissional, personalização e eficiência de custos para atender às necessidades da gestão financeira. As famílias abastadas, muitas vezes, enfrentam desafios únicos quando se trata de gerenciar suas finanças, investimentos e patrimônio. 

Proteção patrimonial para family office: como funciona?

Proteção patrimonial para family office: como funciona? Fique por dentro do conceito, como funciona e quais os principais benefícios da proteção patrimonial para o family office. Saiba como realizá-la! A proteção patrimonial é uma estratégia que visa preservar e aumentar o valor do patrimônio de uma pessoa ou de uma

Family Office: uma opção viável para todas as famílias.

Family Office: entenda como esse serviço pode ajudar sua família O Family Office é uma estrutura de gestão de patrimônio que foi tradicionalmente associada a famílias extremamente ricas.  Descubra como o conceito evoluiu e agora está se tornando cada vez mais acessível e benéfico para famílias de diferentes níveis de