MP traz novas regras para tributação de investimentos e estruturas no exterior

Fale com um especialista agora gratuitamente!
Nesse artigo você vai ver:

As medidas têm potencial de arrecadação da ordem de R$ 3,25 bilhões para o ano de 2023, próximo a R$ 3,59 bilhões para o ano de 2024 e de R$ 6,75 bilhões para o ano de 2025.

O texto da Medida Provisória nº 1.171/23, publicada em 30/04/2023 pelo Governo, trouxe mudanças não apenas para a declaração do Imposto de Renda, mas também para a tributação de investimentos no exterior.

A nova legislação afeta os rendimentos provenientes de aplicações financeiras, entidades controladas e trusts, que são fundos utilizados para gerenciar recursos de terceiros. É comum que essas movimentações estejam associadas a paraísos fiscais, o que tem chamado atenção das autoridades.

A MP se concentra em quatro temas principais e seus aspectos tributários:

  • Aplicações financeiras no exterior;
  • Entidades controladas no exterior;
  • Trusts no exterior e;
  • Atualização do valor dos bens e direitos no exterior.

A MP estabelece alíquotas progressivas de Imposto de Renda (IR) para as aplicações financeiras e entidades controladas no exterior, que variam de 0% a 22,5% dependendo da parcela anual de rendimentos:

  • 0% (para parcela anual de rendimentos que não ultrapassar R$ 6 mil);
  • 15% (para parcela anual de rendimentos que exceder R$ 6 mil e não ultrapassar R$ 50 mil);
  • 22,5% (sobre a parcela anual dos rendimentos que ultrapassar R$ 50 mil).

Além disso, a norma dispõe que lucros apurados a partir de 01/01/24 por controladas localizadas em país ou dependência com tributação favorecida ou com benefício fiscal privilegiado, ou que apurem renda ativa própria inferior a 80% da renda total, estarão sujeitos a essas mesmas alíquotas. Lucros gerados até 31/12/23 serão tributados apenas quando da disponibilização, e prejuízos gerados a partir de 01/01/24 poderão ser compensados. 

No que diz respeito aos trusts no exterior, a MP trata transferências para beneficiários como doações (em vida) ou sucessão (em causa mortis).

Quanto à atualização do valor dos bens e direitos no exterior, a MP permitiu que o valor dos bens e direitos mantidos no exterior seja atualizado, com uma taxa de 10% aplicada sobre a diferença entre o valor atual de mercado e o custo original de compra. Esse imposto deve ser pago até 30/11/23. O ganho resultante dessa atualização será adicionado ao custo original de aquisição do bem ou direito. Para as empresas controladas no exterior, essa atualização poderá ser feita até 31/12/23, com uma taxa de 10% aplicada sobre o ganho, e o imposto deve ser pago até 31/05/24.

Outras disposições incluem a revogação de dispositivos anteriores relacionados à base de cálculo do IR para investimentos no exterior e à não incidência de IR sobre o ganho decorrente da alienação, liquidação ou resgate de bens localizados no exterior adquiridos pela pessoa física como não residente no Brasil.

Para que a MP possa ser implementada a partir de 01/01/24, ela precisa ser convertida em Lei ainda em 2023, dentro de seu prazo regimental (60 dias, prorrogáveis por mais 60), respeitando-se o princípio da anterioridade, respeitando-se o princípio da anterioridade.

Conclusão

Com a publicação da Medida Provisória 1171/23, a tributação de investimentos e estruturas detidas no exterior se tornou um tema ainda mais complexo para as pessoas físicas residentes no Brasil.

Nesse contexto, contar com uma contabilidade consultiva pode ser fundamental para garantir o correto cumprimento das obrigações fiscais e evitar possíveis penalidades!

A Direto Contabilidade está à disposição para orientar e auxiliar os interessados nesse assunto, por meio de um atendimento personalizado e especializado. Não hesite em entrar em contato conosco para saber mais.

Confira mais alguns de nossos artigos:

Compartilhe nas redes:

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Artigo - Direto Group - Contabilidade em São Paulo - SP

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Planejamento tributário para Family Office: Faça corretamente!

Planejamento tributário para Family Office, você sabe como fazer corretamente?  Então, fique tranquilo! Elaboramos este artigo para que você tire suas dúvidas de como funciona este tipo de planejamento tributário e tudo o que envolve sua estrutura!  O planejamento tributário é uma atividade que tem por objetivo diminuir a carga

BPO Financeiro para Family Office: principais vantagens

BPO Financeiro para Family Office: o que é e principais vantagens Confira as principais vantagens do BPO Financeiro para Family Office. O BPO Financeiro é uma solução que permite terceirizar as atividades financeiras de uma empresa.  Essa prática pode trazer diversos benefícios para os Family Offices, sendo empresas que gerenciam

Entenda o papel dos Multi Family Offices para famílias abastadas

Multi family office: Compreenda o que é e o que faz! Saiba como os Multi Family Offices oferecem expertise profissional, personalização e eficiência de custos para atender às necessidades da gestão financeira. As famílias abastadas, muitas vezes, enfrentam desafios únicos quando se trata de gerenciar suas finanças, investimentos e patrimônio. 

Proteção patrimonial para family office: como funciona?

Proteção patrimonial para family office: como funciona? Fique por dentro do conceito, como funciona e quais os principais benefícios da proteção patrimonial para o family office. Saiba como realizá-la! A proteção patrimonial é uma estratégia que visa preservar e aumentar o valor do patrimônio de uma pessoa ou de uma

Family Office: uma opção viável para todas as famílias.

Family Office: entenda como esse serviço pode ajudar sua família O Family Office é uma estrutura de gestão de patrimônio que foi tradicionalmente associada a famílias extremamente ricas.  Descubra como o conceito evoluiu e agora está se tornando cada vez mais acessível e benéfico para famílias de diferentes níveis de